terça-feira, 24 de abril de 2012

Semana da Cidadania - Encerramento



 Neste domingo dia 22 de abril, os jovens da Pastoral da Juventude visitaram o Abrigo do Cristo Redentor, em Bonsucesso, Rio de Janeiro – RJ, fundado por Raphael Levy Miranda, que era funcionário do Banco do Brasil, na década de 30, o lugar recebia menores e idosos. E o que antes funcionava como um grande complexo de assistência social ao longo do tempo foi mudando de perfil e, na década de 80, passou a abrigar apenas idosos. O espaço pertence ao Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) e em 2011 completou 75 anos de funcionamento, mas desde 2008 é administrado pela Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos (SEASDH).

O único abrigo público do Estado acolhe hoje 270 idosos, mas mesmo se tratando de uma instituição pública, o abrigo conta com o apoio da Paróquia Santa Bernadete, a qual realiza em especial através de um grupo chamado Família Missionária, que atua fazendo as visitas, levando os idosos a Missa que acontece todos os domingos as 10h30 na Capela dentro do Abrigo e também promovem eventos para os idosos.
Essa visita consistiu no gesto concreto culminado com o encerramento da Semana da Cidadania, na qual os jovens puderam passar por uma rica experiência de troca com os idosos. Levando um pouco de música e alegria da juventude católica,  oferecendo sua escuta atenta  e ao mesmo tempo recebendo as experiências, as histórias de vida e também partilhar do sofrimento de pessoas que vivem hoje longe da família, de amigos e dependem totalmente do cuidado de outras pessoas. Alem dos Jovens da Pastoral da Juventude, também participaram da visita 6 seminaristas do seminário São Jose, que estão fazendo estagio nos finais de semana com so movimentos que trabalham com jovens.
Finalizamos essa Semana da Cidadania em grande estilo, conscientes do amplo significado da palavra CIDADANIA, e de todos os aspectos inerentes a ela, mas principalmente com a certeza da importância da Juventude em lutar pela saúde e pela vida, seguindo os preceitos evangélicos e buscando ações concretas  na nossa caminhada.

Por Thatiane Souza ( Secretária do Vicariato Jacarepaguá)

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Semana da Cidadania do Vicariato Suburbano- A ditadura dos fast foods


“Quer comais, quer bebais, quer façais qualquer outra coisa, fazei tudo para glória de Deus.” (I Cor 10, 31); Quando nos alimentamos, qual é nossa postura diante daquilo que se nos apresenta como sustento? Será que pelo menos traçamos o sinal da cruz lembrando-nos do Deus da vida?... Mais ainda, as pessoas eventualmente costumam sair para comer fora de casa, será que é fácil nos encontrarmos rezando quando paramos numa lanchonete, pizzaria ou qualquer restaurante?


Em plena modernidade, facilmente nos justificamos pela correria do dia-a-dia para não nos importarmos com qualquer outra coisa que não seja nosso trabalho ou atividades, que não seja nossas realizações produtivas, que não seja nossa busca por facilidades. Fato é que toda e qualquer pessoa está sempre em busca de sua felicidade e deseja encontrar as verdades para se calçar. Com isso, no bojo dessa discussão, não podemos deixar de considerar aspectos sobre a tão falada qualidade de vida; ora... e saúde não se reduz ao bom rendimento fisiológico de nosso corpo, mas abrange os acontecimentos mentais, tanto intelectuais quanto emocionais, e, mais ainda, para nós a saúde descende de nossa boa relação com nossa fé também. Isso porque o que conseguimos ver em fazer amigos, em completar os estudos, em conseguir um emprego seguro, em lutar por um sistema de saúde de qualidade, em ter uma vida tranquila, em viver em paz, reflete ou, pelo menos, deveria refletir o nosso proceder em nossa vida espiritual. Assim, a qualidade de vida está associada a ter uma boa saúde, está associada a um bem-estar físico e mental e, para tanto, a alimentação não se encontra fora desse processo, bem como nossa atitude interna, nossa atitude espiritual frente ao alimento.
Com efeito, olhando para nós à luz da fé, encontramo-nos manchados pela culpa original e, diante da fragilidade humana, somos levados por um amor desregrado a nós mesmos, somos levados por um querer ser feliz que acabamos por uma irracionalidade, ferindo a nós mesmos. Pois bem, a conjuntura social na qual estamos inseridos demanda informações grandes em número e variedade, que não faz outra coisa senão alimentar-nos em nossos desejos por sensações. Nessa mesma perspectiva, é notória a ação publicitária tentando vender felicidade, como não se pode vender felicidade, a ação passa ser a apresentação de uma soma de prazeres que acaba por ilusão. Pois pela propaganda criamos uma relação comercial, associamos a alegria à nossa livre decisão de consumir e contrapomos, claramente, a diferença entre prazer e felicidade.
Comer bem é parte integrante de uma boa qualidade de vida. Mas, será que quando pensamos em comer bem significa estar em um restaurante ou lanchonete conhecidos ou, primeiramente, pensamos em ter uma alimentação balanceada? Contudo, cabe notar que o ato de comer não é uma ação ruim, não é um prazer que devemos evitar a todo custo, como uma mortificação total para termos uma relação mais pura com o Senhor – temos sentidos, fomos criados com sentidos e percepções. De outro lado, notamos também que o prazer de comer é tido como diversão e como tal faz parte da melhoria da qualidade de vida – uma vez, também, que é muito mais fácil simplesmente pagar por um alimento pronto do que prepará-lo; é mais prático deixar-se seduzir por uma imagem bonita, por um cheiro bom e um sabor gostoso do que pensar no que realmente é mais saudável, de que modo é mais saudável consumir um alimento. A questão é que diversão não deve ser tratada em seu sentido restrito de palavra, significando ato irrefletido, pura distração, embora assim impere nessa dinâmica de entretenimento que vivemos. Deste modo, o ato de comer passar a ser mais um puro ato de consumo em prol de status inserido na lógica econômica do entretenimento, ignorando, pelo menos, a tentativa de sabermos sobre nossos sentimentos de estarmos felizes ou infelizes, satisfeitos ou mortificados, pois, sem isso, não estaríamos uma coisa nem outra.

Com isso, em ressalto da nossa inclinação à busca pelo prazer e fuga dos incômodos e sofrimentos, podemos exemplificar nossa atitude frente às opções alimentares e por nossos próprios interesses quando nos encontramos, devido a tal correria do dia-a-dia, várias horas sem comer e nos inquietamos, sem medidas, quando levados a reflexões e sugestões sobre o jejum. Ora, aqui vemos claramente que o nosso prazer está nos nossos interesses e se quer pensamos que a verdadeira sensação de felicidade está na realização de nossas potencialidades, as quais só encontram sua plenitude no Criador, O começo e O fim de nossa existência.

No que se refere a nossa alimentação, lembramos mais uma vez: “quer comais, quer bebais, quer façais qualquer outra coisa, fazei tudo para glória de Deus.” (I Cor 10, 31); lembrar-se da criação e esquecer-se do Criador parece que é a atitude que prevalece quando nos alimentamos, uma vez que tendemos a voltar nossos olhos para nós mesmo, para o que estamos sentindo ou buscando sentir naquele momento. Não é uma postura fácil de assumir e requer tempo e exercícios, mas é um degrau da escada que nos conduz ao Céu: olhar para a criação e lembrar dos sonhos e mãos que a modelaram, pois tudo é dom de Deus. Se assim não for, nos encontraremos em uma atitude de consumo destruidora, nos encontraremos na lógica de degradação ecológica onde só pensamos em tirar o proveito das coisas.

Referências

Terapia das doenças espirituais – Gastrimargia – Pe. Paulo Ricardo

BARBOSA, Cláudio L. de A. O conceito de diversão no contexto escolar: uma abordagem ética. Tecnologia Educacional, v.29 (148). Jan/ Fev/ Mar, 2000.

Texto Passeio Socrático – Frei Betto
www.verdestrigos.org/sitenovo/site/cronica_ver.asp?id=1601

Por Humberto Macieira ( Assessor do Vicariato Suburbano)

domingo, 22 de abril de 2012

Semana da Cidadania no Vicariato Urbano


Na noite da ultima sexta feira, dia 20, aconteceu no Vicariato Urbano, na Paroquia Santo André em São Cristóvão, o sexto dia de formação da Semana da Cidadania. O tema deste encontro abordou a auto-imagem e os transtornos psicológicos derivados da necessidade de viver conforme os padrões de beleza impostos pela sociedade atual.


Na abertura do encontro, Giselle Pereira, coordenadora da Pastoral da Juventude no Vicariato Urbano, enfatizou com bastante alegria que esta é a primeira vez que o vicariato participa ativamente da Semana da Cidadania, e o Pe. Wagner Toledo, assessor da juventude do vicariato Urbano, ressaltou que este grande passo que o Urbano deu ao acolher este encontro aproximará mais a juventude local da Jornada Mundial da Juventude, fomentando neles o desejo de participar com maior engajamento deste evento.

Após a dinâmica de apresentação do grupo, conduzida pela Aline Barbosa, coordenadora arquidiocesana da PJ Rio, a psicologa Cecília Calabaide explicou sobre os transtornos de auto-imagem mais comuns, a anorexia, a bulimia e vigorexia, que levam o ser humano a se auto-destruir na busca de um corpo perfeito.

A auto-imagem, segundo Cecília, é construída através de padrões de comportamento vivenciados a partir da infância, sendo necessário observar nossas atitudes para que involuntariamente não proliferemos a politica de perfeição nossos descendentes.

Construir uma personalidade saudável depende prioritariamente do relacionamento consigo e com Deus, buscando encontrar Nele suas virtudes, para colocar a disposição toda sua potencialidade ao serviço da sociedade, expondo nesta ação sua beleza interior fundada em Cristo, concluiu Pe.Wagner.

sábado, 21 de abril de 2012

Semana da Cidadania no Vicariato Norte


Na ultima terça-feira, dia 17, na Paróquia Divino Espírito Santo e São João Batista no Maracanã, o 3° dia da Semana da Cidadania, abordando o tema Saúde Alimentar. O Encontro teve inicio com oração, e partilha sobre como anda nossa alimentação e o que devemos melhorar, para uma vida mais saudável.

A reflexão deste tema foi conduzida pelo nutricionista Davi, que nos falou da importância da higienização dos alimentos, principalmente frutas e verduras, e ensinou os participantes o modo correto de lavar os alimentos utilizando uma solução composta por uma colher de cloro ou de bicarbonato de sódio em um litro de água.

Além do preparo dos alimentos antes do consumo, ressaltou a necessidade de realizarmos um  bom café da manhã com frutas e cereais que revitalizarão nosso organismo para o inicio das atividades diárias, e que devemos evitar o jejum comendo uma fruta ou barra de cereal de 3 em 3 horas.

Também foi apresentado a pirâmide alimentar, onde podemos observar o valor nutricional de cada alimento e quantas porções de cada tipo de alimento devemos consumir, sendo encerrado este dia com um momento de oração.

Texto: Laila Vargas

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Abertura da Semana da Cidadania


"É preciso saber o que se põe na mesa"



Ontem, 15 de abril de 2012, na Paróquia Pai Eterno e São José (site da paróquia), na Cidade de Deus, deu-se o início a Semana da Cidadania - Juventude e Sáude Alimentar, organizada pela equipe da PJ do Vicariato de Jacarepaguá em parceria com as Irmãs Mínimas da Paixão do Nosso Senhor Jesus Cristo.
Foi uma bela tarde de compartilhamento, com muito contéudo, dinâmicas e debates.
Com membros de diferentes paróquias, as irmãs começaram a tarde com dinâmicas de dança e apresentação, espantando a timidez e nos aproximando mais como irmãos e irmãs. Houve a leitura e partilha do Evangelho do dia (Jo 20: 24-29). Em seguida, aprendemos com as irmãs que praticar a cidadania e ser cidadão é Promover a Vida e que precisamos ser capazes de responder ao Amor do Nosso Senhor Jesus Cristo, ao Amor de Nosso Pai Eterno: sermos cristãos responsáveis.



Já a luz do tema de abertura, "É preciso saber o que se põe na mesa", nós fomos divididos em três grupos, cada um responsável em discutir Saúde Alimentar sob a ótica de um dos três eixos da semana: Agricultura, Saúde e Direito. Após esse período de partilha e debate, unimo-nos novamente, na qual adiquirimos dicas importantes para garantir um saúde alimentar de qualidade, como os "Top Fives" dos alimentos que causam câncer:
1- Hot Dog;
2- Carnes Processadas;
3- Donnuttes, o que podemos incluir os fabulosos e enganadores "Sonhos"
4 - Batata Frita
5  Biscoitos e Bolachas

Para finalizar esse ciclo de debate, cada grupo apresentou o que haviam discutido através de teatro, mini-palestra ou gesto concreto. Este último se manisfestou pela oportunidade de experimentarmos receitas saudáveis e alternativas, como suco de couve com hortelã e a curiosa Fanta" 100% Orgânica.






Em agradecimento à participação Irmãs Mínimas da Paixão, a PJ Rio e Vicariato de Jacarepaguá as presentou com o Subsídio de Estudo da Pastoral. 



E fica a mensagem: 

"Ser Cidadão é Promover a Vida!"




Dando sequência a SdC 2012...

16 de Abril, HOJE - Debate on-line "Juventude e Saúde Alimentar" aqui, blog da PJ Rio. 
>>>NÃO PERCAM, PARTICIPE<<<

Para os demais dias, clique em cartaz.

Por Righel Cardoso

COM-PJ RIO



terça-feira, 10 de abril de 2012

Dom Orani convoca cariocas a participarem da Vigilia pela Vida

Em atençaõ a convocação feita pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil,  na noite desta terça feira, todas as paróquias e capelas da Arquidiocese do Rio de Janeiro, estarão unidas em oração pela defesa da vida dos bebês portadores de anencefalia. Para a Vigília pela Vida foi disponibilizado no site da Arquidiocese, o roteiro "Rezando pela Vida”, para ser utilizado na Hora Santa desta noite.

Ontem, foi divulgado um video de Dom Orani Tempesta convocando a população a participarem ativamente nesta vigilia de oração em favor da vida.



— Mesmo que seja breve, todos têm direito à vida, e por isso ela deve ser acolhida como dom e compromisso. Nós, que acreditamos em Cristo, não podemos permitir que a legislação abra caminhos para que a vida seja desvalorizada em nosso país, afirmou Dom Orani ao Portal da Arquidiocese.




O Arcebispo do Rio presidirá a Vigília pela Vida, na Capela do Edifício João Paulo II,  na Glória, a partir das 22h com transmissão pela Rádio Catedral FM 106,7. 

Também haverá nesta terça, a partir das 18h, um twitaço com a tag #afavordavida, com a proposta de mostrar na redes sociais o desejo de toda a Igreja de defender a "vida como um dom e compromisso, mesmo que seu percurso natural seja, presumivelmente, breve", como ressaltou a carta da presidência da CNBB divulgada na ultima sexta feira.

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Reunião entre jovens católicos, judeus e muçulmanos

No dia 19 de abril, às 19h, a Comissão de Ecumenismo e Diálogo Interreligioso da Arquidiocese do Rio de Janeiro dará continuidade às reuniões entre jovens católicos, judeus e muçulmanos, no Colégio Santo Inácio, em Botafogo.

Os encontros, que vêm acontecendo desde novembro do ano passado, já foram realizados no Hillel – casa de cultura e encontros da comunidade judaica, na Lagoa – e na Mesquita da Luz, na Tijuca.

Segundo o Diácono Nelson Águia, o objetivo do grupo é iniciar atividades mais concretas, como: ações sociais, encontros de diálogo e partilha, momentos de oração em conjunto, momentos de lazer, e mais o que os jovens participantes pretenderem.



Fonte: Arquidiocese do Rio

Paixão de Cristo! Você encenou?

Galera jovem, você participou de alguma encenação da Paixão de Cristo? Tem filmado? fotos? Manda pra gente! Estaremos postando aqui o link dos videos da galera da PJ que encenou a Paixão nessa Semana Santa!
Lembrando que Cristo ressuscitou! Alegria!!!!
Mande o link no youtube, do seu video para pastoraldajuventuderio@gmail.com! Não fique fora dessa

Ai vai o video do grupo Anuncia Jovem, da Paróquia Anunciação a Nossa Senhora no Riachuelo - Vicariato Norte

CNBB convoca para Vigília de Oração pela Vida


Na próxima quarta-feira, dia 11/04, o Supremo Tribunal Federal (STF) realiza o julgamento sobre a descriminalização do aborto de anencéfalos – casos em que o feto tem má formação no cérebro.
A presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) enviou nesta Sexta-feira Santa, 06/04, uma carta a todos os bispos do país, convocando para uma Vigília de Oração pela Vida às vésperas do julgamento.

Em agosto de 2008, por ocasião do primeiro julgamento do caso, a CNBB publicou uma nota que explicita a sua posição. “A vida deve ser acolhida como dom e compromisso, mesmo que seu percurso natural seja, presumivelmente, breve. (...)Todos têm direito à vida. Nenhuma legislação jamais poderá tornar lícito um ato que é intrinsecamente ilícito. Portanto, diante da ética que proíbe a eliminação de um ser humano inocente, não se pode aceitar exceções. Os fetos anencefálicos não são descartáveis.  O aborto de feto com anencefalia é uma pena de morte decretada contra um ser humano frágil e indefeso. A Igreja, seguindo a lei natural e fiel aos ensinamentos de Jesus Cristo, que veio “para que todos tenham vida e vida em abundância” (Jo 10,10), insistentemente, pede,  que a vida seja respeitada e que se promovam políticas públicas voltadas para a eficaz prevenção dos males relativos à anencefalia e se dê o devido apoio às famílias que convivem com esta realidade”.
A seguir, a íntegra da carta da presidência da CNBB, bem como o texto completo da nota sobre o assunto:

Brasília, 06 de abril de 2012
P - Nº 0328/12
Exmos. e Revmos. Srs. 
Cardeais, Arcebispos e Bispos

ASSUNTO: Vigília de Oração pela Vida, às vésperas do dia 11/04/12, quarta feira.
DGAE/2011-2015: Igreja a serviço da vida plena para todos (nn. 65-72)
“Para que TODOS tenham vida” (Jo 10,10).
CF 2008: “Escolhe, pois, a vida” (Dt 30,19).
CF 2012: “Que a saúde se difunda sobre a terra” (Eclo 38,8).

Irmãos no Episcopado,
A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil jamais deixou de se manifestar como voz autorizada do episcopado brasileiro sobre temas em discussão na sociedade, especialmente para iluminá-la com a luz da fé em Jesus Cristo Ressuscitado, “Caminho, Verdade e Vida”.
Reafirmando a NOTA DA CNBB (P – 0706/08, de 21 de agosto de 2008) SOBRE ABORTO DE FETO “ANENCEFÁLICO” REFERENTE À ARGUIÇÃO DE DESCUMPRIMENTO DE PRECEITO FUNDAMENTAL Nº 54 DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, a presidência solicita aos irmãos no episcopado:
Promoverem, em suas arqui/dioceses, uma VIGÍLIA DE ORAÇÃO PELA VIDA, às vésperas do julgamento pelos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a possibilidade legal do “aborto de fetos com meroanencefalia (meros = parte), comumente denominados anencefálicos” (CNBB, nota P-0706/08).Informa-se que a data do julgamento da ADPF Nº 54/2004 será DIA 11 DE ABRIL DE 2012, quarta feira da 1ª Semana da Páscoa, em sessão extraordinária, a partir das 09 horas.
Com renovada estima em Jesus Cristo, nosso Mestre Vencedor da morte, agradecemos aos irmãos de ministério em favor dos mais frágeis e indefesos,
Cardeal Raymundo Damasceno Assis                
Arcebispo de Aparecida                                          
Presidente da CNBB                                                 
Dom José Belisário da Silva
Arcebispo de São Luiz
Vice Presidente da CNBB
Dom Leonardo Steiner
Bispo Auxiliar de Brasília
Secretário Geral da CNBB

Nota da CNBB sobre Aborto de Feto “Anencefálico”
Referente à Argüição de Descumprimento de Preceito Fundamental n. 54 do Supremo Tribunal Federal
O Conselho Episcopal Pastoral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB, em reunião ordinária, vem manifestar-se sobre a Argüição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF n° 54/2004), em andamento no Supremo Tribunal Federal, que tem por objetivo legalizar o aborto de fetos com meroanencefalia (meros = parte), comumente denominados “anencefálicos”, que não têm em maior ou menor grau, as partes superiores do encéfalo e que erroneamente, têm sido interpretados como não possuindo todo o encéfalo, situação que seria totalmente incompatível com a vida, até mesmo pela incapacidade de respirar. Tais circunstâncias, todavia, não diminuem a dignidade da vida humana em gestação.
Recordamos que no dia 1° de agosto de 2008, no interior do Estado de São Paulo, faleceu, com um ano e oito meses, a menina Marcela de Jesus Galante Ferreira, diagnosticada com anencefalia. Quando Marcela ainda estava viva, sua pediatra afirmou: “a menina é muito ativa, distingue a sua mãe e chora quando não está em seus braços.” Marcela é um exemplo claro de que uma criança, mesmo com tão malformação, é um ser humano, e como tal, merecedor de atenção e respeito. Embora a Anencefalia esteja no rol das doenças congênitas letais, cursando com baixo tempo de vida, os fetos portadores destas afecções devem ter seus direitos respeitados.
Entendemos que os princípios da “inviolabilidade do direito à vida”, da “dignidade da pessoa humana” e da promoção do bem de todos, sem qualquer forma de discriminação, (cf. art. 5°, caput; 1°, III e 3°, IV, da Constituição Federal) referem-se também aos fetos anencefálicos. Quando a vida não é respeitada todos os outros direitos são menosprezados. Uma “sociedade livre, justa e solidária” (art. 3°, I, da Constituição Federal) não se constrói com violências contra doentes e indefesos. As pretensões de desqualificação da pessoa humana ferem sua dignidade intrínseca e inviolável.
A vida deve ser acolhida como dom e compromisso, mesmo que seu percurso natural seja, presumivelmente, breve. Há uma enorme diferença ética, moral e espiritual entre a morte natural e a morte provocada. Aplica-se aqui, o mandamento: “Não matarás” (Ex 20,13).
Todos têm direito à vida. Nenhuma legislação jamais poderá tornar lícito um ato que é intrinsecamente ilícito. Portanto, diante da ética que proíbe a eliminação de um ser humano inocente, não se pode aceitar exceções. Os fetos anencefálicos não são descartáveis.  O aborto de feto com anencefalia é uma pena de morte decretada contra um ser humano frágil e indefeso.
A Igreja, seguindo a lei natural e fiel aos ensinamentos de Jesus Cristo, que veio “para que todos tenham vida e vida em abundância” (Jo 10,10), insistentemente, pede,  que a vida seja respeitada e que se promovam políticas públicas voltadas para a eficaz prevenção dos males relativos à anencefalia e se dê o devido apoio às famílias que convivem com esta realidade.
Com toda convicção reafirmamos que a vida humana é sagrada e possui dignidade inviolável. Fazendo, ainda, ecoar a Palavra de Deus que serviu de lema para a Campanha da Fraternidade, deste ano, repetimos: “Escolhe, pois, a vida” (Dt 30,19).
Dom Geraldo Lyrio Rocha - Arcebispo de Mariana - Presidente da CNBB
Dom Luiz Soares Vieira Arcebispo de Manaus – Vice Presidente da CNBB
Dom Dimas Lara Barbosa - Bispo Auxiliar do Rio de Janeiro - Secretário Geral da CNBB

Fonte: CNBB

domingo, 8 de abril de 2012

Exposição Santo Sudário


Reconhecimento Pastoral no Vicariato Suburbano

No ultimo domingo, dia primeiro de abril, dia em que a igreja celebrou o domingo de ramos, a PJ do arquidiocese do Rio de Janeiro teve o prazer de acolher, no vicariato suburbano, seis jovens seminaristas do seminário são José para reconhecimento pastoral .O encontro aconteceu na santuário da Divina misericórdia, em Vila Valqueire, casa do grupo jovem anjos da misericórdia.
 
Com inicio as 15:00hs, os seminaristas tiveram um momento com a coordenação vicarial e a coordenação do grupo onde foi apresentado a pastoral da juventude, história e missão e em seguida participaram do grupo como expectadores observando sua dinamica, jeito de ser e fazer.
 
Houve um momento inicial de oração conduzida pelo seminarista Márcio da Paróquia Nossa Senhora da Conceição e Monteiro, do vizinho vicariato oeste, em Campo Grande.
 
A coordenadora do grupo Paula Paulo apresentou a historia do grupo e suas atividades, mostrando que o grupo se preocupa e debate questões como: espiritualidade, fé e política, afetividade, sexualidade, entre outros importantes temas que geram duvidas e conflitos na cabeça dos jovens.Além de focar na formação integral , o jovem do grupo Anjos de Misericórdia é incentivado a participar nas outras atividades paroquiais, fortalecendo assim a sua vida comunitaria.

Durante a reunião tivemos a visita do padre Pedro, Palotino, que falou um pouco sobre a vocação de sua sociedade apostólica e de seus trabalhos com os leigos, que tem como objetivo promover o protagonismo e a vocação do leigo enquanto igreja, tendo seu papel fundamental na evangelização externa aos muros das paróquias. É o olhar para o outro que está a margem da religião.

Por fim terminamos os encontro fazendo uma visita guiada ao seminário palotino que fica ao lado do santuário.
Moyses,seminarista palotino, disse que sempre é muito bom interagir com outros jovens comprometidos com a cause de Cristo, a contrução da civilização do amor e que a preparação pastoral ,importante aspecto na vida do seminarista, exige grande atenção e dedicação pois é através das pastorais que a igreja se organiza para manter seu rebanho em "verdes campos".

 
Ruan Antonio e Leandro Mello - Pastoral da Juventude.
Coordenadores do Vicariato Suburbano na Arquidiocese do RIO.

Mensagem de Dom Orani Tempesta para a Páscoa



Páscoa é Vida


A celebração da Páscoa renova a vida de todos nós! Após o tempo da Quaresma, quando vivenciamos a necessidade de conversão, a mudança de vida, a penitência e a procura por caminhar no deserto para renovar o nosso encontro com o Senhor, na Aliança e no Batismo, chegamos à Páscoa. Sob a lua cheia desse tempo outonal em nosso hemisfério, nós olhamos a força da semente que brota na terra e admiramos como, após as primeiras chuvas mansas, aquilo que parecia morto renasce!

A celebração da Páscoa foi, no passado, para o povo do Antigo Testamento, a certeza de que mesmo quando parecia impossível uma solução para a escravidão o Senhor liberta o seu povo. Essa experiência foi renovada em outras situações, em especial no retorno do exílio. Sempre foi uma oportunidade de sentar à mesa para tornar presente a vida, a libertação, o poder do Senhor que traz a vida para o seu povo.

Jesus Cristo, o Filho de Deus, foi morto, sepultado! Diante da pedra que cobria o túmulo parecia que tudo tinha terminado. Até mesmo os discípulos de Emaús estavam voltando para casa, desanimados, após os acontecimentos em Jerusalém.

No entanto, uma notícia percorre a região: a pedra fora removida e o túmulo foi encontrado vazio! Mais ainda: os seus discípulos O encontraram ressuscitado em vários momentos e circunstâncias.

De maneira especial começaram a celebrar a Sua presença a cada primeiro dia da semana, no Domingo, que passou a ser o “Dia do Senhor”, o dia em que os que creem em Cristo celebram a Sua vitória sobre a morte. Essa vitória é a certeza de que o pecado foi vencido e de que nós podemos, com Cristo, termos uma nova vida.

Também hoje nós ouvimos muitas notícias que podem nos desanimar, achando que não temos soluções para a sociedade: violências, mortes, rancores, guerras, corrupção, perseguição aos cristãos, traições, maldades as mais diversas, quando parece não termos mais liberdade em crer, em proclamar a boa notícia às pessoas, ou mesmo nos manifestarmos sobre os valores que cremos. Junto a isso, as antigas situações sempre retornam com os desastres devido a chuvas, guerras por questões econômicas ou ideológicas, a dependência química com a escravidão e a violência, desentendimento entre as pessoas estressadas pelos problemas diários, a incompreensão entre as pessoas e, para muitos, a falta de sentido para a vida!

Num tempo em que a vida tem sido desvalorizada em tantas circunstâncias, cabe a nós fazer a nossa parte, tentando preservar o valor do ser humano para o futuro. Em alguns países, as perseguições queimam igrejas, expulsam e matam os cristãos ainda hoje, numa época em que se imaginava que a humanidade já teria aprendido a viver em paz com as diferenças. Em outros lugares a perseguição é mais sutil e vem por leis, decisões várias, investigações teleguiadas, difamações por vários meios antigos e novos, querendo desacreditar a Igreja em sua missão. Mas experimentamos, também dentro de casa, muitas situações de divisões e de falta de unidade que nos fragilizam e não nos deixam caminhar livremente na missão.

Temos uma missão importantíssima, à qual não podemos renunciar, com pena de sermos omissos com a nossa obrigação de partilhar com as pessoas a experiência que temos. O mundo novo que todos querem construir, e muitas vezes o fazem de maneira errônea, é possível! Com Cristo, nós experimentamos que, mesmo perseguidos e humilhados, temos um anúncio capaz de transformar a sociedade naquilo que todos os corações anseiam. Muitos não aceitam a fé e nem a Cristo, mas aquilo que Ele anuncia e de quem nós somos testemunhas é o que as pessoas buscam até mesmo sem saber.

O que leva o homem a ser feliz? O que leva a pessoa humana a ser realmente humana? O que pode fazer este mundo ser mais justo e fraterno? Apesar de parecer que chegamos ao final de uma estrada sem saída para esse mundo, nós temos uma notícia que irrompe do sepulcro vazio de Cristo e perpassa os corações que creem, e, através dos cristãos, chega a toda a humanidade: esse mundo novo é possível! Cristo venceu o pecado e a morte, venceu o egoísmo e a ganância, venceu o mal! Os cristãos são testemunhas dessa vida nova que dá esperança a essa sociedade que muitas vezes tem sido levada pelas propagandas contrárias à vida. Ao mesmo tempo em que se critica a corrupção, se continua a propagar os contra- valores na sociedade, o que a leva a viver um círculo vicioso.

Chegamos a um tempo em que o futuro vai sendo decidido pelas nossas opções. Eis a Páscoa que nos anuncia que não precisamos ter medo de Cristo! Ele é o que anuncia para todos a verdadeira vida, que, no profundo do coração, todos buscam. Trabalhemos por esse mundo novo e sejamos testemunhas da ressurreição! Entremos com o coração generoso para viver a Páscoa do Senhor e sejamos construtores, com Cristo, de um mundo novo.

Feliz e Santa Páscoa a todos!



Fonte: Arquidiocese do Rio

Siga-nos!!!