domingo, 22 de fevereiro de 2015

Vinde e Vede! (cf. Jo 1,39)


Através da resposta de Jesus, propus-me a verificar sua verdadeira morada. Despojando-me, inteiramente, para uma viagem que com certeza deixou muitas recordações e esperanças em meu coração.

Quando os discípulos ouviram  João Batista que lhes apresentou Jesus como o Cordeiro de Deus,  surgiu então, uma dúvida em seus corações: Onde moras, Jesus? Ao mesmo tempo, no momento em que tive a oportunidade de ir ao XI Encontro Nacional da Pastoral da Juventude, na cidade de Manaus/AM, surgiu-me essa dúvida. Na passagem bíblica, o autor diz que os mesmos discípulos foram ver onde o Mestre morava e permaneceram com ele.

Chegando em Manaus tive a felicidade de ser recebido por uma família maravilhosa, otimista e comprometida com a vida e a evangelização. Ali pude experienciar a morada de Jesus, descobrindo e partilhando a vida, o pão e a utopia com aquela família, a paróquia, a cidade e o povo pronto a acolher todos os PJoteiros de diversas regiões do Brasil, que no encontro das águas partilharam a vida, o pão e a utopia.

O encontro foi marcado por muitas emoções e desafios. Passamos por um momento de missão que, em de modo particular pude visitar e conhecer um pouco a realidade das comunidades ribeirinhas. Povo que luta com as dificuldades, pois em determinadas épocas do ano vivem ilhados com a subida dos rios, beirando suas casas.

Outro momento de extrema importância, para mim, foi a leitura da Carta do nosso querido Papa Francisco que nos encorajou e deu-nos animo na caminha pastoral.

Destaco esse trecho: " Meus queridos e minhas queridas jovens, tenho muita esperança em vocês que dão testemunho do Cristo Libertador com as suas vidas. Esse Cristo que “olhou o jovem com misericórdia e o amou”, a Igreja também ama vocês e por isso lhes peço que não se deixem abater pelas coisas que possam chegar a ouvir da juventude. Em todo tempo histórico falou-se pejorativamente dos jovens, mas também em todo tempo foi essa mesma juventude que dava testemunho de compromisso, fidelidade e alegria.

Nunca percam a esperança e a utopia, vocês são os profetas da esperança, são o presente da sociedade e da nossa amada Igreja e sobretudo são os que podem construir uma nova Civilização do amor."

Acima de tudo o que trouxe em minha bagagem de volta, foi a coragem e a certeza de que Jesus, o Mestre, mora em nossas realidades, em nossos jovens e principalmente naqueles que são deixados de lado por nós, numa sociedade que não tem valorizado a vida. Tenho muito a agradecer à Arquidiocese do Rio de Janeiro, na pessoa do nosso Bispo Animador, Dom Antônio Augusto Duarte, que oportunizou esse momento. Agradeço a todos meus amigos e irmãos da Pastoral da Juventude que partilham comigo o pão, a vida e a utopia, mas também as dores e as angústias, que muitas vezes surgem em nossas tarefas cotidianas.

Termino, destacando a felicidade e alegria de pertencer à "maior escola de formação de lideranças da Igreja no Brasil", como afirmou para nós Dom Vilson Basso, membro na CNBB da Comissão Episcopal da Pastoral para a Juventude no XI ENPJ.

Texto por Gilson Carreira Jr. - vicariato JPA

Siga-nos!!!