quinta-feira, 26 de maio de 2011

Olá Galera!!!


Está chegando mais um Interjovem, acontecerá no próximo fim de semana, dias 28 e 29 de maio, das 8h às 17h.


Para quem não conhece, o Interjovem é um campeonato esportivo entre paróquias do Vicariato Norte, com o objetivo de integrar e animar os grupos jovens através do esporte.
A competição terá as seguintes modalidades: Vôlei misto e Futsal masculino e feminino.
O local a sediar os jogos será o Instituto Pe. Leonardo Carrescia, na Rua Barão de Itapagipe, 96 - Rio Cumprido, com entrada franca.
Junte seus amigos e venham torcer pelos jovens atletas da Pajuvin.
Informações : pajuvin@gmail.com

quarta-feira, 25 de maio de 2011


Olá Galera!!!
Vem aí o 1° PJ Acústico + Balada Jovem, organizado pela Pastoral da Juventude do Vicariato Leopoldina. Será no dia 28 de maio às 17h, na Paróquia Santa Bárbara e Santa Cecília, na Rua Alvarenga Peixoto, 155 - Vigário Geral.
Balada Jovem com muita musica Cristã e momento de Adoração. Presença do Ministério Eucaristia.
Corra e garanta já o seu ingresso (Antecipado R$ 3,00 e no dia R$ 5,00).
Informações: pjvicariatoleopoldina@gmail.com ou absalanlopes@gmail.com

sábado, 21 de maio de 2011

O que você precisa saber sobre o conselho tutelar


No próximo dia 5 de junho, a cidade do Rio de Janeiro parte para um novo processo eleitoral, mas dessa vez para escolher seus conselheiros tutelares. Das 9h às 17h, toda a população deve comparecer aos postos de votação, com título de eleitor e identidade, com o objetivo de ajudar a eleger pessoas comprometidas com os direitos das crianças e adolescentes.

O QUE É O CONSELHO TUTELAR?
É um órgão permanente e autônomo, encarregado pela sociedade de zelar pelo cumprimento dos direitos da criança e do adolescente, (Lei n° 8.069).
É constituído por cinco cidadãos, escolhidos pela comunidade local, que serão remunerados pela função e terão mandato de três anos para atuar na defesa dos direitos das crianças e adolescentes.

No Rio de Janeiro existem 10 Conselhos Tutelares que atuam de forma regionalizada:

QUAL A IMPORTÂNCIA DA SOCIEDADE PARTICIPAR DA ESCOLHA DOS CONSELHEIROS TUTELARES?

Os cidadãos escolhidos para a função de conselheiro tutelar irão atender crianças e adolescentes que tiverem seus direitos ameaçados por ação ou omissão da sociedade e do Estado; por falta, omissão ou abuso dos pais ou responsável; ou em razão de sua própria conduta. Os conselheiro tutelares precisam também estar habilitados a:
Receber a comunicação dos casos de suspeita ou confirmação de maus tratos; de reiteradas faltas injustificadas ou de elevados níveis de repetência.
Requisitar atendimento pelos serviços necessários para a efetivação do atendimento adequado a cada caso (ex.: vaga em escolas, em unidades de acolhimento, hospitais, atendimento no INSS etc). Assessorar o governo na elaboração de propostas orçamentárias, com finalidade de garantir planos e programas de atendimento integrado nas áreas de saúde, educação, cidadania, geração de trabalho e renda a favor da infância e da juventude.
Por tudo isso, os conselheiros tutelares devem ser pessoas preparadas exercer tal função. A escolha destes conselheiros é responsabilidade de todos os cidadãos.

QUEM PODE VOTAR?

Qualquer cidadão, a partir de 16 anos que vote na cidade do Rio e Janeiro.

ONDE SERÃO OS POSTOS DE VOTAÇÃO?

Nas escolas municipais do Rio de Janeiro indicadas como postos. Não haverá votação em todas as escolas.

O QUE É NECESSÁRIO PARA VOTAR?

Os cidadãos devem:
· Se informar sobre quem são os candidatos a conselheiro tutelar do Conselho da sua área.
· Se informar sobre qual será o posto de votação que atenderá à sua zona e seção eleitoral.
· Se dirigir ao posto de votação munido de documento de identidade com foto e do título de eleitor ou canhoto utilizado na última eleição oficial.
ATENÇÃO:
· O voto é regionalizado, ou seja, só se pode votar nos candidatos do Conselho Tutelar do seu domicilio eleitoral.
· As pessoas que mudaram de endereço, mas não atualizaram esta informação no TRE só poderão votar nos candidatos da área da sua antiga residência.
· Só se pode votar em 1 (um) único candidato(a).

ONDE OBTER MAIORES INFORMAÇÕES:
· No CMDCA através dos telefones 2976-2993 ou 2976-1522, no Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, sala 663, 6º andar do CASS, ou pelo e-mail: cmdca@pcrj.rj.gov.br .
· Na SMAS através do site www.rio.rj.gov.br/smas ou do telefone da Ouvidoria: 2976-1223.
. Ou Pelo telefone 2292-3132, ramal 332, através do Vicariato para a Caridade Social.
Fonte: Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Mas você sabe o que está dizendo quando louva a Maria?

Se criou a curiosidade, você não pode perder o NAS ONDAS DA PJ na Catedral FM 106,7 às 12h20 este sábado!

Segue um texto da Maria Emmir Nogueira, Co-fundadora da Comunidade Shalom, para ir deixando um gostinho do que teremos sábado no programa.


Você já ouviu gente dizendo “Ave Maria cheia de “graçassssss”? Talvez achem que, acrescentando um “s”, estão acrescentando graças a Maria. Na verdade,apesar de sua boa vontade, estão diminuindo o fato de que Maria é plena, repleta da presença de Deus e a presença de Deus não se divide em partes que se posam contar no singular ou plural. Outro costume engraçado é quando se intercede pelas ofensas, como se elas fossem capazes de agir por si mesmas. É quando se diz, no Pai Nosso, “perdoai as nossas ofensas”, como se diria “perdoai meu irmão, meu pai, minha mãe”. Na verdade, somos nós, os pecadores, que precisamos de perdão e não as ofensas. Elas não fizeram nada. Fomos nós que fizemos. Porém, para que isso fique claro, deveríamos dizer “perdoai-nos as nossas ofensas”. Talvez nenhuma oração seja tão pouco compreendida como a Salve Ó Rainha, nome original da prece agora mais conhecida como “Salve Rainha”. No tempo em que São Bernardo compôs esta belíssima oração, era necessário colocar-se o “Ó” para honrar os reis e rainhas. Também naquele tempo – e ainda hoje – ser rei ou rainha significava ser o mais alto, belo e perfeito que alguém pudesse conceber. Ninguém chegava aos pés de um rei ou rainha. Por isso o vocativo “Ó”. Por isso, também, o “Salve” reverente, a saudação utilizada na época para os reis. Nossa Rainha é também “Mãe de Misericórdia”. Isso mesmo, não “da misericórdia”, mas “de misericórdia”, que significa que ela, além de Rainha, é Mãe. Mãe de Jesus, e portanto Mãe de Deus e nossa Mãe. Nela, misticamente, fomos e somos continuamente gerados como Igreja, como filhos de Deus, como irmãos de Jesus Cristo. Esta Mãe não é, porém, uma mera geratriz. Ela é cheia de misericórdia. Como toda boa mãe, a misericórdia, isto é, o perdão irrestrito, o interesse absoluto por nossas necessidades, a união com nossos corações, o incentivo a recomeçar sempre enchem seu coração sem deixar espaço para nenhuma mesquinhez. É por isso que ela é “vida, doçura, esperança nossa”. Como dizem São Luis Grignon de Montfort e São Bernardo de Claraval, nas nossas situações mais difíceis e ainda que nada tenhamos para oferecer a Deus, podemos contar com a doçura de Maria, a nos apresentar ao Senhor que, ao ver quem nos apresenta, nem presta atenção às nossas faltas e feiúra tamanha é a perfeição e beleza daquela que nos apresenta e atrai seu olhar. Ela se torna, assim, nossa esperança e nossa vida unida a Cristo neste mundo e no outro. Vida eterna – Porta do Céu; doçura eterna – intercessora; esperança – gerada pela Mãe de Misericórdia, que jamais desiste de nós. E o clamor dos degredados? É preciso lembrar. Nós, certamente, somos “degradados” pelo pecado que nos degradou e por nossa culpa em praticá-lo. No entanto, na “Salve Ó Rainha”, somos “degredados filhos de Eva”, isto é, enquanto vivermos aqui na terra, estamos em situação de “degredo”: ainda prisioneiros do pecado de Eva e fora da nossa pátria verdadeira que é o céu. Você se lembra quando o rei de Portugal, na época de nossa colonização enviou para cá os degredados? Pois é. Eram os prisioneiros expatriados dos quais Portugal se via livre enviando-os para a colônia além mar. Como estes, nós também estamos sofrendo o degredo. Por isso clamamos – não somente pedimos, mas clamamos, pois, como degredados, estamos em situação dificílima e nada podemos fazer por nós próprios. Clamamos à Rainha a misericórdia da Mãe, para que ela, Nova Eva, nos conduza ao céu. Do clamor, passamos ao suspiro com gemidos e choro: “a vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas”. O suspiro evoca a saudade do céu, o desejo de estar lá. Enquanto estamos aqui na terra, estamos como que em um vale cercado de montanhas e inundado de lágrimas, pois nela somos prisioneiros do pecado e do sofrimento que o pecado provoca. São o sofrimento e o pecado que nos fazem gemer e chorar nossa condição, da qual não temos como sair sem a ajuda de Maria que nos conduz à salvação conquistada por Jesus. E o “Eia pois”? É português antigo. Hoje, talvez disséssemos: “É por isso”, ou “E então Advogada nossa”. Esta expressão é uma introdução ao que vamos realmente pedir. Até agora, saudamos a Rainha, louvamos suas virtudes e atributos e colocamos diante dela nossa situação de degredo e sofrimento. Neste ponto, dizemos que “por isso”, “diante dessa situação”, nós a constituímos nossa Advogada, isto é, alguém que fala em nosso nome, alguém que nos defende diante de Deus que é misericórdia, mas também justiça. E o que pedimos à nossa Advogada? Primeiro, que olhe para nós: “Vossos olhos misericordiosos a nós volvei”. Que volte para nós seu rosto, seu olhar cheio de misericórdia. Em segundo lugar, que nos mostre Jesus depois de nosso degredo, de nosso desterro nesta terra, isto é, por ocasião de nossa morte: “e depois deste desterro, mostrai-nos Jesus”. Em outras palavras, estamos pedindo a Nossa Senhora que olhe para nós com misericórdia e nos leve ao Céu, que nos apresente a Jesus, que não nos deixe sozinhos no juízo, que esteja conosco na hora de nossa morte. Ao falar de Jesus, que é o grande alvo desta oração tão bela, lembra-se a Maria quem Ele é: o bendito fruto do seu ventre. “mostrai-nos Jesus, bendito fruto do Vosso ventre”. (Aqui tem gente com mania de dizer “bendito é o fruto”, mas isso é dito na “Ave Maria” e não na “Salve Ó Rainha”.) Qual a mãe que não se derrete ao ouvir o nome do filho, especialmente quando é lembrada de sua gestação e, no caso de Maria, gestação milagrosa e felicíssima? No final da oração, dizemos a Maria o que esperamos dela: clemência, isso é, misericórdia por ocasião do julgamento. Dizemos também porque esperamos dela esta clemência: porque ela é piedosa - isto é, íntima, amiga de Deus. Voltamos, então ao atributo de doçura, a que já nos havíamos referido antes com relação à apresentação que Maria faz a Deus de nossas necessidades: “ó clemente, ó piedosa, ó doce”. Por fim, lembramos a Maria que Deus a preservou do pecado em sua alma e manteve a integridade do seu corpo de forma excepcional. Sua virgindade corporal antes, durante e depois do parto é sinal de sua concepção sem pecado: “sempre-virgem Maria”. Nossa Mãe e Rainha, como fez no Magnificat, se agrada de cantar conosco as maravilhas que Deus fez nela.

sábado, 14 de maio de 2011

Começou! Nas ondas da PJ está no ar!



Olá galera! Começou! o Nas ondas da PJ está no ar! Começou hoje as 12:20 , o primeiro programa da pastoral da juventude. Contamos com a presença de Dom Antonio Augusto, bispo animador da Juventude e do padre Gilvandré, assessor da pastoral, alem da entrevista com Aline Barbosa, uma das coordenadoras da pastoral e Maria Helena, coordenadora do vicariato norte e que representou os outros vicariatos.


E como em toda estreia, na nossa não foi diferente! Estavamos muito nervosos, mas Deus é fiel e passa na frente! Foi maravilhoso poder estar no ar com cada um de vcs! por sinal muito obrigada a todos pelo apoio, orações, carinho e recadinhos dados no ar! Nos sentimos acolhidos e amados desde já!


Destacamos que o melhor foi poder começar a evangelizar e a divulgar a pastoral da Juventude para cada ouvinte! E contamos com vc, todo sabado as 12:20! Semana que vem, contamos com a presença do JAM!(juventude Mariana). Nos ouça e participe!!!!


Deus abençoe a todos!


quarta-feira, 11 de maio de 2011

Nas ondas da PJ!

Olá Galera da PJ!!
Está chegando o dia da estreia do programa Nas Ondas da PJ, na Radio Catedral FM 106,7. Será no proximo sabado dia 14-05 às 12:20h.
No primeiro programa contaremos com a presença de alguns convidados: Maria Helena, Coordenadora do Vicariato Norte, contando sobre o processo de escolha do nome do programa. Aline, coordenadora arquidiocesana da Pastoral da Juventude, falando sobre a Pastoral da Juventude, como funciona e como se articula dentro do vicariato.
Alem de nossas convidadas, contaremos com a presença do nosso Bispo orientador, Dom Antonio Augusto, animador do Setor Juventude e Bispo Auxiliar da Arquidiocese do Rio de Janeiro.
Vocês também poderão participar do programa Nas Ondas da PJ mandando recados e sugestões para nasondasdapj@radiocatedral.com.br.
Convidamos a toda Juventude Católica a ficar conectado nessa Onda e a participar do CHATedral durante o programa.

domingo, 8 de maio de 2011

Maria, a nossa mãe




Hoje é o dia das mães e nesse dia lembramos daquela que é simbolo de amor de mãe, que é Maria. Imagino o quanto deve ter sido duro pra uma menina descobrir-se a mãe do salvador. O que aquela jovem menina deve ter sentido ao saber que passaria por tantas dores, angustias e agonias. Medo deve ter passado pela sua mente e no entanto a coragem do seu sim, mudou a vida de todos nós e aquela menina tornou-se a mãe do filho de Deus.








E desde o começo nem tudo foram flores. Maria já começa tendo que contar a José seu noivo que algo diferente tinha acontecido. Imaginem a cabeça daquela menina, contando algo que poderia nao ser aceito e ela apedrejada. Mas Maria foi coragem desde o inicio. Logo depois veio o nascimento e a fuga , a perseguição.E ela mais uma vez deu seu sim, mesmo que isso significasse sofrimento.








Seu menino cresceu, começou operar milagres. E foi perseguido, julgado e condenado. E novamente , aquela mãe, foi corajosa e aguentou a tudo, inclusive a espada de dor que lhe transpassou a alma, quando seu filho unico, na cruz foi morto.








Que Maria seja exemplo de mãe para todos nós e para todas as mães. Feliz dia das maes a tdas!!!

quinta-feira, 5 de maio de 2011

DIA C! Divulgue


O “Dia C da Evangelização” é hoje, 5 de maio, promete um twittaço entre os católicos. A data, em comemoração ao Dia Nacional da Comunicação, será celebrada com mensagens cristãs nas principais mídias sociais. A campanha é também um ensaio para a celebração do 45º Dia Mundial da Comunicação, neste ano comemorado em 5 de junho.

A iniciativa pastoral, promovida pela Arquidiocese do Rio, pretende mobilizar especialmente a juventude, de forma que pelo Orkut, Twitter, Facebook e outros cada católico se comprometa a levar a Palavra de Deus ao mundo pela Internet, sem abrir mão da criatividade e ousadia que os novos aparatos tecnológicos possibilitam. A campanha pode ajudar a formar uma identidade católica no mundo virtual.

— Pensamos não em “Dia D”, mas em “Dia C” exatamente para dar ênfase à “Comunicação Católica de Cristo”. Nosso objetivo é levar todos aqueles que fazem parte do nosso dia a dia no mundo virtual a terem pelo menos um breve contato com a mensagem do Evangelho. Especialmente o jovem, que utiliza bastante essas novas mídias, é convidado a atuar como protagonista da evangelização nas redes sociais, explicou o coordenador arquidiocesano da Pastoral da Comunicação (Pascom), Padre Márcio Queiroz.

O Twitter terá uma grande importância para a campanha. Para que a comunicação nesta rede aconteça de maneira sincronizada, o assessor para mídias sociais da Arquidiocese, Padre Jefferson Gonçalves de Araújo, sugere o uso, ao final de cada mensagem, do hashtag“#ComunicarEvangelizando” – inaugurado especialmente para o “Dia C da Evangelização”.

— É fundamental que aqueles que queiram se unir a nós na campanha usem o hashtag e estejam dispostos a comunicar suas mensagens pessoais e também a retuitar. Especialmente nesta data, retuitar será como um ressoar da Palavra de Deus, explicou o Padre Jefferson.

O Assessor para mídias sociais destacou ainda a importância de não esquecer das mensagens no Orkut, no Facebook, no MSN e onde mais a pessoa estiver conectada.

— É um dia especial para a comunicação católica. Todo o nosso investimento, preparando mensagens, com certeza produzirá frutos, ainda que não saibamos, porque, como a gente aprende com a Bíblia, “a Palavra de Deus não volta sem produzir o seu efeito”, lembrou Padre Jefferson.

O Dia Nacional das Comunicações foi escolhido em homenagem ao nascimento, em 1865, do marechal Cândido Mariano da Silva Rondon, patrono das comunicações do Brasil.

Nice Affonso
www.arquidiocese.org.br
Fonte: http://cnbbleste1.org.br/2011/05/twittaco-para-o-dia-c-da-evangelizacao/

terça-feira, 3 de maio de 2011

Um santo vivo! O papa dos Jovens


Eu era bem pequena quando ouvi falar que ele viria ao Brasil pela primeira vez. Nunca imaginei que fosse um homem tão importante, mas logo percebi que sua visita era algo extraordinário. Como não tínhamos televisão em casa e morávamos na roça, minha mãe levou a mim e a meus irmãos, também crianças, para assistirmos, na casa da vizinha (que aliás já estava empilhada de gente), sua chegada à capital brasileira. Lembro-me ainda de que, enquanto esperava impaciente para vê-lo descer logo do avião, ouvia vários comentários a seu respeito, entre eles, ouvi uma senhora já idosa dizer com seu ar de sabedoria apurada: "João Paulo II é um santo vivo!" Virei-me rapidamente para ela na espera de que continuasse a falar, pois logo associei a imagem do Papa à dos “santinhos” que minha mãe tinha em casa. Mas entre tantas conversas paralelas e a ansiedade para ver a chegada do Papa à Terra de Santa Cruz, só consegui guardar isto: "João Paulo II é um santo".

Fui crescendo e acompanhando passo a passo sua trajetória, seu amor pela humanidade, sua voz forte, que depois se tornou trêmula e embargada, mas nunca se calou diante das multidões, encontrava sempre espaço em meu coração e no coração de tantos jovens, idosos e crianças por este mundo afora. Com o passar do tempo e o agravamento da doença (Mal de Parkinson), sua santidade foi se evidenciando ainda mais, assim como seu esforço para continuar a missão que lhe fora confiada, suas limitações expostas e seu sorriso em meio às dores eram prova disso. Quem não chorou ao vê-lo pela última vez em público, era quarta-feira, dia 30 de março, a Praça São Pedro estava repleta de fiéis à espera de ouvir sua voz, ele, com muito esforço, tentou falar, mas sem sucesso, acabou acenando e abençoando, com as mãos trêmulas, a multidão que o observava comovida. Era seu amor à humanidade, expresso na cruz de suas limitaçãos humanas. Depois de percorrer o mundo como “Messageiro da paz”, “João de Deus” e o “Papa dos jovens”, era hora de parar, de voltar ao Pai. Sua imagem, no entanto, jamais se apagou da lembrança de quem o viu de perto ou de longe.

Dizem que é na provação que se reconhece um santo. Ele foi provado e quem o acompanhou, atesta sua santidade. "Jamais perdeu a intimidade com o Céu". "Teve uma morte cheia de vida" são alguns dos comentários que ouvimos.

Hoje, a poucos dias de sua beatificação, e tendo em mãos as credenciais para trabalhar na cobertura deste evento mundial, penso contantemente em tudo que, na minha vida, traz por uma razão ou outra as marcas da sua fé, do seu ministério, do seu testemunho. E lembro-me também daquela senhora que, para mim, foi profeta; suas palavras acompanharam minha infância e tiveram grande influência na minha fé. Era o início do pontificado do Papa Wojtyla, suas obras ainda não eram tão conhecidas, e ela viu mais longe, declarando em primeira mão sua santidade.

Hoje já não está entre nós, mas se estivesse eu faria questão de recordar-lhe o fato e dizer que ela tinha razão, o mundo todo já sabe, ele era mesmo “um santo vivo”! Era “um homem de Deus” como também ouvimos tantos dizerem. E o mais bonito é que ele sabia transmitir esse Deus a quem amava, servia e queria testemunhar sem cessar; esse Deus a quem comunicava, com seu amor, em suas palavras, seu sorriso, seu testemunho, suas orações e sua caridade ordenada e multiplicada em inúmeros gestos e atitudes. Quem não se lembra, ao menos de ouvir falar, de seu gesto, por exemplo, quando doou o anel pontifício em prol da Favela do Vidigal durante a primeira viagem ao Brasil em 1980? Ou ainda do perdão concedido a Ali Ağca, homem que disparou um tiro contra ele na Praça São Pedro em 13 de maio de 1981?
E uma nuvem de testemunhos vêm à nossa lembrança, quando pessamos em Karol Wojtyla. Um homem que passou da formação clandestina à Catedra de São Pedro. De ator à personalisação da verdade. De leigo orfão a Pastor universal da Igreja.

Quanta superação, quanto entusiamo e quanta doação marcaram sua trajetória neste mundo!

Um pontificado de quase três décadas, o terceiro mais longo da história da Igreja, e uma vida de quase 85 anos, assinalada por perdas e dificuldades várias, mas também por inúmeras conquistas e lições de amor.

Entre suas marcantes características, recordo-me de João Paulo II como um homem orante. Rezava noites inteiras ou pelo menos muitas horas seguidas, como que atraído pelo divino desejo de comunhão com a Santíssima Trindade e com a Virgem Maria, a quem dizia pertencer: “Totus Tuus”. E depois falava e agia a partir daquilo que contemplava, rezava e meditava nas suas horas de intimidade com Deus. Acredito que está aí revelado seu segredo. Só uma profunda vida de oração gera santidade! E foi assim o Papa João Paulo II, a quem a Igreja, pela decisão de seu sucessor, irá declarar beato em poucos dias.

Que seu testemunho nos contagie e nos arraste para a meta da santidade em nossos dias, fazendo com que sejamos também nós “Santos vivos”. Esta é a mais nobre vocação humana.

Dijanira Silva Apresentadora da Rádio CN FM 103.7 em Fátima Portugal( texto extraido do site da Canção Nova)

Siga-nos!!!