sábado, 11 de agosto de 2012

Vestibular e seus desafios

O tão aguardado e temido vestibular é uma realidade para a massa da juventude. Muitos de nós ficamos apreensivos até o dia da prova. É um momento importante, já que é um marco de uma nova etapa em nossas vidas, indicando um amadurecimento, um crescimento para cada um de nós.
As escolas, cada vez mais especializadas em vestibulares, tratam esse momento como produto e oferecem cursos, intensivos, simulados entre outros a fim de “preparar” o aluno para o dia da prova. Além disso, monitorias, fins de semana para estudar, provões, provinhas. Quase não há tempo para o jovem.
Há uma pressão gigantesca, interna e externa. De um lado os pais, parentes e a sociedade que diz que é preciso alcançar um status social alto, com padrões de vida que, muitas das vezes, fogem do vivido. Do outro o estudante, que quer ser bem sucedido, conseguir um lugar de destaque no mercado de trabalho, ter conforto profissional, e, para isso, se dedica de tal forma que passa a deixar amigos, programas que costumava fazer, ir ao grupo jovem, à igreja.
Muito é investido pelas pessoas quando o assunto é um concurso em geral. Cursinhos preparatórios são muito procurados tendo em vista seus índices de aprovação, que são divulgados como troféus. Mas será que todo esse estudo e tempo investido foram satisfatórios. Será que realmente é isso que eu quero levar pra minha vida?
O desafio enfrentado por muitas pessoas é definir seu objetivo quanto ao curso que quer seguir. É comum pra várias pessoas abandonar um curso já no fim e entrar em outro. Isso acontece por que ainda não descobrimos o verdadeiro rumo que queremos (o que é normal, já que precisamos aprender e viver para nos descobrirmos). É necessário, que desde a escola nos seja oferecido uma indicação do rumo profissional, uma introdução ao trabalho, afinal de contas a escola, além de nos dar a formação acadêmica deve nos dar também formação cultural, social, profissional... enfim, uma FORMAÇÃO INTEGRAL.
Se houver a infelicidade de não passar no vestibular e o aluno precisar trabalhar? Será que ele estará apto somente com o ensino básico que foi oferecido? As escolas tratam o vestibular como se fosse um fim em si mesmo. Ele acaba deixando de ser apenas um momento para ser a vida do estudante. É necessária uma indicação das profissões, o que há depois do vestibular. No final das contas, a ideia de formação integral do aluno, vendida por muitas instituições educacionais, não vai muito além de ensinar a reciclar o lixo ou colocar o feijão no algodão.

Por Junior e Leandro, coordenadores da PJ do Vicariato Oeste


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Siga-nos!!!