sexta-feira, 22 de julho de 2011

7º MUTICOM - Diário de Bordo - Quinta 21 de julho

Antes de registrar como foi a quinta-feira do MUTICOM, dia 21 de julho, quero expressar a alegria que tive, ao longo desses dias do 7º Mutirão da Comunicação, pelos encontros com amigos que tornam a caminhada mais suave. Nesses quatro dias de Mutirão pude almoçar, ter conversas breves e papos longos acerca de questões relevantes e engraçadas sobre a comunicação, a Igreja e também sobre a Juventude com os amigos Ricardo Franco, Anna Carol Bayer, Isaías e Anne, Comunidade Coração Novo, Fátima, Gi e Mazé, da Canção Nova, Leandro Souza e o Júnior, da Frutos e como não falar do padre Márcio e o diácono permanente Gilvan?!

Às 9 horas começou a primeira mesa do dia, o tema do painel era “Jovens, novas
comunidades e redes sociais”. Achei o tema muito bom e destaco a participação de duas
professoras excelentes para a abordagem do tema juventude, Santuza Navez, da PUC-Rio, e Silvia Ramos, da Cândido Mendes. Ambas pesquisadoras e professoras universitárias trouxeram, além de suas experiências, dados acerca de como os jovens tem se comunicado, e especificamente (como era proposta da mesa) qual tem sido o papel das redes sociais.

Dentre as várias informações importantes dessa mesa, teve uma que é tão significativa quanto discreta. Trata-se de uma percepção da professora Santuza quanto o botão compartilhar do Facebook.

Por vezes ouço que a sociedade é individualista e depois ouço em seguida na mesma frase
uma critica como que associando isso aos jovens, como se fosse uma espécie de característica intrínseca à geração das décadas de 80 e 90 do século passado, que é a juventude de hoje. Discordo dessa concepção em definitivo, não apenas pelo simbolismo do botão compartilhar, mas também por outros motivos, como por exemplo, a mobilização de jovens para formarem Pré-Vestibulares Comunitários entre outras ações de justiça social e integração.

Essa palavra de vocação cristã, “compartilhar”, presente numa rede social colabora, e muito, para pensarmos o que a Juventude está querendo dizer hoje para um mundo cercado de grades, câmeras e fronteiras de arames farpados. Quem compartilha algo está não apenas
dando algo, mas enviando um convite ao outro para participar do seu convívio.

Penso, que todos nós, Jovens ou não, em nossas pastorais, movimentos e novas comunidades podemos fazer muito para que através da Comunicação, interna e externa, seja compartilhado o dom primeiro que nos foi dado por Deus: a vida.

Anderson Ignácio
Centro de Pastoral Anchieta/PUC-Rio

Um comentário:

  1. Bom poder ler diários de bordo tão ricos na percepção do mundo, mas cheios de experiência cristã.

    Ótimo texto!

    ResponderExcluir

Siga-nos!!!