quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

JMJ Rio 2013: Um grande ganho para a cidade

Para quem ainda acredita que a juventude não se interessa pelas ações políticas de nossa cidade, a noite da última segunda-feira, 12 de dezembro, provou o contrário. Uma audiência pública, organizada pela Comissão Especial com a finalidade de acompanhar os preparativos para a realização da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) – que acontecerá na cidade entre os dias 23 e 28 de julho de 2013 – levou diversos jovens das mais variadas localidades à Câmara Municipal do Rio de Janeiro, visando refletir e planejar não só o acolhimento e a estada dos milhões de peregrinos que virão participar do evento, mas também todo o legado estrutural e espiritual que o encontro deixará para os cariocas.

O presidente da Comissão Especial para a JMJ, Vereador Carlo Caiado, o Relator Vereador Reimont, e um dos membros, Vereador Tio Carlos, fizeram parte da mesa, que também esteve composta pelo Bispo Referencial da Juventude no Regional Leste 1 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Nelson Francelino, pelo responsável do Setor de Voluntários da JMJ 2013, Padre Ramon Nascimento, pelo Assessor do Prefeito Eduardo Paes, Anderson Guedes, e pela Coordenadora de Departamentos do Setor de Voluntários da JMJ 2013, Gisele Azevedo.

Constituída pela Câmara Municipal do Rio de Janeiro na Resolução Nº 1.214, de 26 de agosto, a Comissão Especial para a JMJ, segundo o Vereador Carlo Caiado, vem executando seu trabalho sem tornar pública as suas ações, pois o objetivo é refletir e planejar a partir dos anseios da sociedade, em especial, da juventude do Rio de Janeiro.

— Com a criação da Comissão Parlamentar Especial, a Câmara Municipal do Rio da a oportunidade para a sociedade de poder acompanhar os preparativos desse tão importante evento que é a Jornada Mundial da Juventude. A audiência de hoje é um lançamento e um alerta que a gente faz para buscarmos o melhor planejamento possível, tendo em vista um bom transporte, uma boa acomodação e um bom policiamento, não só para recebermos os jovens, mas para ficar como herança para a nossa cidade, disse o Vereador Carlo Caiado.

Já para o Relator da Comissão, Vereador Reimont, a Jornada Mundial da Juventude não se delimita à dimensão espiritual, mas também está diretamente ligada aos ganhos e benefícios que a cidade terá com a realização do evento.

— Além de discutirmos a dimensão da nossa fé e o envolvimento da juventude com a sua Igreja, com o seu batismo, e com o seu ser missionário, nós compreendemos que a Jornada Mundial da Juventude é um grande ganho para a cidade. Logo, o poder legislativo, como parte daqueles que organizam, pensam e querem o bem da cidade, acolhe a JMJ no Rio de Janeiro, porque sabe que para além dos ganhos da humanização, da espiritualidade, da dimensão da fé e da religiosidade, teremos um ganho para a cidade, que é a vinda de milhões de jovens que, após o evento, retornarão ao Rio com seus familiares e amigos, afirmou o Vereador Reimont.

De acordo com Dom Nelson Francelino, a JMJ deve ser o ponto de partida para que o legislativo possa refletir e criar políticas públicas concretas que tragam qualidade de vida e oportunidades para uma formação integral da juventude carioca.

— O Vereador Reimont falava da importância de estarmos juntos na Jornada Mundial da Juventude, mas eu destacaria, sobretudo, a importância dessa noite, pois traz para essa casa, para a Câmara Municipal, os apelos da nossa juventude carioca, não apenas se tratando de JMJ, mas também de suas vidas, anseios e expectativas. Que a JMJ seja uma oportunidade para levar a sociedade como um todo a pensar no drama, nas angústias e nas perspectivas da nossa juventude. Que a presença do Papa Bento XVI, a presença de toda essa mobilização em torno desse evento também nos leve, partindo dessa Câmara, a repensar um pouco a vida dessa juventude carioca, marcada por tanto medo, insegurança e falta de perspectiva, ressaltou Dom Nelson Francelino.

A audiência dirigida para a juventude contou também com a participação das comunidades Shalom e Bom Pastor, que fizeram algumas apresentações musicais. Um vídeo com depoimentos de jovens do mundo inteiro confirmando sua participação na Jornada Mundial do Rio também foi exibido durante o encontro. Além disso, onze jovens da Arquidiocese tiveram a oportunidade de expor suas experiências tanto nos trabalhos pastorais que realizam com a juventude carioca, quanto nas Jornadas de que participaram anteriormente.

A Comissão Especial para a JMJ tem como presidente o Vereador Carlo Caiado; Relator, Vereador Reimont; e membros os Vereadores Tio Carlos, Doutor Eduardo Moura e Jorginho da SOS. O Comitê Especial que acompanhará os preparativos para a realização da Jornada Mundial da Juventude Católica no Rio de Janeiro pretende realizar outras audiências públicas, com a participação da Igreja Católica, para encaminhar sugestões e demandas à Prefeitura.

*Fotos: Raphael Freire

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Siga-nos!!!